Esqueça os seus próprios interesses

1
Esqueça os seus próprios interesses

“Depois disse a todos: Se alguém quer ser meu seguidor, que esqueça os seus próprios interesses, esteja pronto cada dia para morrer como eu vou morrer e me acompanhe. Pois quem põe os seus interesses em primeiro lugar nunca terá a vida verdadeira; mas quem esquece a si mesmo por minha causa terá a vida verdadeira” (Lc 9.23-24, NTLH).

O que realmente significa ser um “discípulo” de Jesus? Discípulo não é somente aquele que crê na palavra do Senhor, mas é aquele que a segue integralmente. Certa vez, Jesus ensinou: “se vós permanecerdes na minha palavra, sois verdadeiramente meus discípulos” (Jo 8.31).
Portanto, na passagem de Lucas logo acima, Jesus está dizendo que para sermos seguidores (discípulos) dele, primeiro precisamos esquecer nossos próprios interesses. Ora, que exigência que Jesus faz logo no início de nossa caminhada cristã!

É importante destacar, conforme o início do texto, que Ele disse essas palavras “a todos”, sem fazer qualquer distinção. Será que foi isso que nós aprendemos quando pela primeira vez escutamos o Evangelho? Ou simplesmente ouvimos que Jesus faria tudo por nós? Talvez por causa disso vemos pessoas hoje com bastante tempo de fé que têm dificuldade de deixar de lado os seus interesses, comprometendo a expansão do reino de Deus. É claro, porque “se o grão de trigo, caindo na terra, não morrer, fica ele só; mas se morrer, produz muito fruto” (Jo 12.24).
Penso que às vezes muitos de nós somos diferentes das pessoas do mundo apenas naquilo que é grosseiro: não falamos palavrões, não adulteramos, não roubamos, etc; no entanto, quando temos a chance de demonstrar que somos realmente discípulos de Jesus, negando-nos a nós mesmos, só fazemos aquilo que nos agrada, aquilo que satisfaz nossa carne!

Jesus não disse que seríamos conhecidos como discípulos dele se tivéssemos “amor uns aos outros” (Jo 13.35)? Ocorre que quando somos chamados a servir na igreja, muitas vezes só servimos “quando” e “aonde” queremos – ou seja, “aonde nos sentimos à vontade”. Isto é servir? Ora, Paulo ensinou: “deixem que o Espírito de Deus dirija a vida de vocês e não obedeçam aos desejos da natureza humana” (Gl 5.16, NTLH). Para os coríntios, ele escreveu que Cristo “morreu por todos, para que os que vivem não vivam mais para si mesmos, para aquele que por eles morreu e ressuscitou” (2Co 5.15).
Portanto, para sermos seguidores de Jesus, precisamos deixar de lado nossos interesses pessoais e estar prontos para morrer a cada dia, para que finalmente possamos acompanhar o nosso Mestre, estando capacitados para dar os mesmos passos que Ele deu.
Ninguém fará as obras que Jesus fez ao longo da história bíblica sem antes também tomar as decisões que Ele tomou.

E às vezes nos esquecemos disto. Falamos de milagres, esperando que eles aconteçam, mas na verdade estamos preocupados com coisas materiais, como os discípulos, que após Jesus multiplicar pães e falar sobre o fermento dos fariseus, disseram: “é porque não trouxemos pão” (Mt 16.7). Uma pena! Em certo momento de sua vida, assim o Senhor orou a respeito de seus discípulos: “a favor deles eu me santifico a mim mesmo, para que eles também sejam santificados na verdade” (Jo 17.19). Jesus se dedicou a todos nós.
O apóstolo Pedro também escreveu: “assim como Cristo sofreu no corpo, vocês também devem estar prontos, como ele estava, para sofrer. Porque aquele que sofre no corpo deixa de ser dominado pelo pecado” (1Pe 4.1).

Alguém tem alguma esperança de crescer na fé sem sofrer no corpo? Vejamos bem o que Pedro está ensinando aqui. Ele não está falando de qualquer tipo de sofrimento, mas de “sofrermos no corpo”. Ou seja, será que estamos dispostos a sofrer na carne em troca de uma recompensa espiritual? Ora, Paulo declarou: “todo atleta em tudo se domina; aqueles para alcançar uma corroa corruptível; nós, porém, a incorruptível. Assim corro também eu… esmurro o meu corpo, e o reduzo à escravidão, para que, tendo pregado a outros, não venha eu mesmo a ser desqualificado” (1Co 9.27).
Não podemos conciliar as obras da carne e as obras do Espírito, porque “a carne milita contra o Espírito, e o Espírito contra a carne, porque são opostos entre si; para que não façais o que porventura seja do vosso querer” (Gl 5.17). E aqui vem a questão central: o Espírito de Deus nos foi dado para não fazermos o que é do nosso querer! Por isso, é essencial que tenhamos uma vida de comunhão diária com o Espírito Santo, conforme Paulo recomendou aos coríntios: “a comunhão do Espírito Santo seja com todos vós” (2Co 13.13).

Precisamos ter uma vida de oração e leitura da palavra de Deus para que, fortalecidos interiormente, o Espírito Santo exerça domínio sobre a nossa alma (vontade e emoções) e sobre o nosso corpo. Assim, seremos cristãos espirituais – e não carnais.
É interessante observar que no texto de Lucas que estamos analisando Jesus não só nos mostra que devemos esquecer nossos próprios interesses, mas Ele mesmo declara, antes disso, no versículo anterior, que “o Filho do Homem terá de sofrer muito. Ele será rejeitado pelos líderes judeus” (v.22). Ou seja, Ele nos deu um grande exemplo.
Assim, um discípulo verdadeiro de Jesus não pode pensar, sentir ou agir diferentemente dele. Por isso, Pedro escreveu: “porquanto para isto mesmo fostes chamados, pois que também Cristo sofreu em vosso lugar, deixando-vos exemplo para seguirdes os seus passos” (1Pe 2.21). Amados, que evangelho é esse que temos pregado e vivido, um evangelho de conforto material, comodismo e de vontades humanas intocáveis? Onde estão os servos do Senhor Jesus?

Paulo ainda ensinou que “nenhum de nós vive para si mesmo, nem morre para si. Porque, se vivemos, para o Senhor vivemos” (Rm 14.7-8). Mais adiante, ele conclui dizendo que não devemos “agradar-nos a nós mesmos. Portanto, cada um agrade ao próximo… Porque também Cristo não se agradou a si mesmo” (15.1-3). Portanto, amados, ouçamos bem as palavras do nosso Senhor Jesus, para que possamos, no tempo que se chama hoje, realmente ser identificados como discípulos dele, ou seja, como pessoas que se esquecem dos seus interesses pessoais e que estão prontas para morrer a cada dia em troca da vida verdadeira.
Autor: Christian Lo Iacono – Estudo disponível no site:  www.cristoresposta.com.br
Visite: Amigo De Cristo, Noticias Gospel, Videos Gospel, Musica Gospel

1 COMENTÁRIO

Deixe uma resposta