Dilma vai a evangélicos fazer voto antiaborto

0
Dilma vai a evangélicos fazer voto antiaborto
 Alvejada pela polêmica do aborto no primeiro turno da disputa, Dilma Rousseff (PT) vai garantir hoje a líderes evangélicos de todo o País que, se for eleita, não enviará ao Congresso projeto de lei para legalizar a interrupção da gravidez. Mais: a candidata do PT à Presidência reafirmará, no encontro, o que classifica como “compromisso de fé” com a liberdade religiosa.
A reunião entre Dilma e os evangélicos foi preparada sob medida pela coordenação da campanha para estancar a sangria de votos entre cristãos e tentar pôr um ponto final na guerra santa em que se transformou a corrida ao Planalto. O encontro ocorrerá em um hotel de Brasília e deve contar com a participação do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, na hora do almoço.
Dois dias após Dilma  visitar o Santuário de Nossa Senhora Aparecida, onde rezou e conversou com católicos, Dilma fará agora um afago aos evangélicos. O PT avalia que subestimou a questão do aborto no primeiro turno e não quer deixar a polêmica crescer.
Na tentativa de enfrentar o problema, a coordenação da campanha de Dilma foi remontada para dar assento a políticos que integram a Frente Parlamentar Evangélica ou são próximos à Igreja Católica. São eles que farão a interlocução com bispos, padres e pastores e atuarão como porta-vozes da candidata.
“Vamos deixar claro que, a exemplo do governo Lula, a gestão de Dilma não entrará em assuntos como aborto ou união civil entre homossexuais. Trata-se de temas muito afeitos ao Congresso e a Igreja tem de pressionar os parlamentares para travar essa luta lá dentro”, disse o senador eleito Walter Pinheiro (PT-BA), evangélico. “O Estado é laico”.
Para Pinheiro, o candidato do PSDB, José Serra, inventou um “medidor de Espírito Santo” nessa disputa. “Serra encarnou o inquisidor, como se tivesse dedicado toda a vida dele a Deus”, ironizou o petista. “Não dá para ficar refém dessa retórica porque Serra tem se utilizado da boa fé das pessoas para assacar mentiras”, emendou o presidente do PT, José Eduardo Dutra.
“De bom tamanho”. Embora tenha dito, em 2007, que era a favor da descriminalização do aborto, Dilma adotou discurso menos controverso desde o início da campanha. Em agosto, ela divulgou a “Carta ao Povo de Deus”, na qual assinala que “cabe ao Congresso a função básica de encontrar o ponto de equilíbrio nas posições que envolvam valores éticos e fundamentais, muitas vezes contraditórios, como aborto (…) e uniões estáveis”. Não adiantou: pesquisas em poder do comitê indicam que Dilma não recuperou totalmente o apoio perdido entre cristãos.
“O PT é um partido democrático e cada um tem sua posição, mas eu, pessoalmente, sou contra o aborto”, insiste Dilma. “É, porém, uma questão de saúde pública e o Estado não pode deixar mulheres de baixa renda recorrerem a métodos medievais para pôr fim à gravidez sem dar assistência a elas.” A candidata assegurou, no entanto, não pretender mudar a legislação a respeito do assunto, que prevê o aborto em casos de estupro e risco de morte para a mãe. “Do jeito que está, está de bom tamanho”, resumiu.
Na avaliação do vice-presidente do PSC, Pastor Everaldo, tanto Dilma quanto Serra devem agora apresentar seus programas de governo. “O aborto é um assunto relevante para a comunidade cristã, mas não é o único”, disse o pastor, que faz parte do Conselho Político da campanha dilmista. “Nós defendemos as reformas tributária, política e menor carga de juros. É preciso botar o barco para a frente.”
Depois de ouvir reclamações dos aliados sobre a demora na divulgação da plataforma de governo, o PT decidiu anunciar na semana que vem os “13 Compromissos de Dilma com o Brasil”. Logo na abertura, o documento dará ênfase à defesa da democracia. A liberdade de imprensa e a de religião, que tanta polêmica causaram na campanha, também integram esse pacote.

RELIGIÃO E CRIANÇAS
Agenda de Dilma para abafar a polêmica do aborto
8 de outubro
Visita ao Lar da Criança Casa de Ismael em Brasília, que cuida de crianças carentes e abandonadas
8 de outubro
Ato de apoio em São Paulo, em que militantes vestiram camiseta com a inscrição “Sou Cristão. Fico com a verdade. Voto Dilma”
9 de outubro
Visita à Maternidade Amparo Maternal em São Paulo, que dá assistência a gestantes pelo SUS.
11 de outubro
Visita ao Santuário Nacional de Nossa Senhora Aparecida, onde ela rezou e se benzeu diante da imagem da padroeira do Brasil
12 de outubro
Participação, em Brasília, na atividade “Pintando o 13”, organizada por Mulheres do PT para comemorar o Dia das Crianças
Fonte :Estadão
Veja Também:

Dilma busca apoio em templos e igrejas de Sorocaba

Dilma busca apoio em templos e igrejas de Sorocaba Para tentar estancar a perda de votos entre os evangélicos e católicos, a campanha de Dilma Rousseff (PT) escalou…

 

DILMA E PT QUEREM CALAR CATÓLICOS

DILMA E PT QUEREM CALAR CATÓLICOS Coligação pediu retratação de padre que pregou contra aborto A coligação da candidata petista à Presidência, Dilma Rousseff, entrou nesta sexta-feira com uma representação…

 

Tucanos acertam com evangélicos estratégia para difundir Serra entre os fiéis

Tucanos acertam com evangélicos estratégia para difundir Serra entre os fiéis Escalado pelo presidenciável José Serra (PSDB) para articular apoios entre o eleitorado evangélico, o deputado federal e…

Revista Época: Deus entrou na eleição

Revista Época: Deus entrou na eleição Como o debate sobre Deus e o aborto interfere no segundo turno das eleições e pode inaugurar uma nova fase na política…

Dilma vai driblar polêmica sobre aborto na televisão

Dilma vai driblar polêmica sobre aborto na televisão A estratégia traçada pelo comando da campanha de Dilma Rousseff (PT) para recuperar os votos perdidos após a polêmica sobre…

Deixe uma resposta