Dilma passa Serra entre eleitores evangélicos, mostram pesquisas

0

Dilma passa Serra entre eleitores evangélicos, mostram pesquisas

Pesquisas Vox Populi e Datafolha divulgadas segunda-feira e ontem, respectivamente, mostram que, na reta final, Dilma ganhou mais votos evangélicos do que Serra.

Pesquisa Vox Populi/iG publicada nesta segunda-feira mostra que, a menos de uma semana das eleições, a candidata do PT ao Palácio do Planalto, Dilma Rousseff, passou para a dianteira sobre o tucano José Serra na corrida presidencial entre os evangélicos.

Num momento em que temas religiosos ganharam destaques na campanha, a pesquisa desta semana aponta que Dilma venceria o rival Serra, entre eleitores católicos (51% a 39%), católicos não praticantes (53% a 35%) e evangélicos (44% a 41%)..

Virada de Dilma
Na semana passada, a mesma pesquisa Vox Populi mostrava que José Serra tinha 44% dos votos entre os entrevistados que se declararam evangélicos e Dilma tinha 42%

Depois da luta pelos voto dos evangélicos, inclusive se comprometendo em não apoiar temas polêmicos como aborto e casamento homossexual, a candidata Dilma Rousseff conseguiu superar o candidato José Serra.

A candidata do PT tinha 42% contra 44% do tucano. Agora, na pesquisa do dia 25 de outubro, Dilma tem 44% e Serra 41%, uma virada que demonstra que todo o esforço para conseguir o voto dos evangélicos valeu a pena na reta final da campanha.

Entre os católicos praticantes Dilma tinha, na pesquisa da semana passada, 54% contra 37% do tucano, e agora tem 51% contra 39%, mostrando uma queda de Dilma e crescimento de Serra, mas insuficientes para tirar a liderança de Dilma entre os católicos praticantes.

No segmento dos católicos não praticantes a petista conseguiu na semana passada, 55% contra 37% de Serra e agora tem 53% e Serra 35%. Queda dos dois candidatos, entre os católicos não praticantes, mas Dilma continua na liderança, também neste seguimento.

Entre os eleitores que não têm religião, a vantagem da petista é de 46% a 38%. Na pesquisa anterior Dilma também vencia por 49% a 36%.

Datafolha

A pesquisa Datafolha divulgada ontem, também mostra que a petista cresce entre evangélicos.

Entre os eleitores evangélicos pentecostais (18% do total do país), Serra liderava com folga no início do mês. Tinha 49% contra 40% de Dilma. Essa foi a época em que o noticiário estava dominado pelo debate sobre temas religiosos e liberalização da lei do aborto.

Depois de quase um mês, Serra acumulou uma perda de seis pontos entre os pentecostais, numa queda lenta e gradual. Na semana passada, estava com 44% e no Datafolha de ontem pontuou 43%.

Dilma começou o mês com 40% e agora tem 42% no segmento pentecostal. Do ponto de vista estatístico, empatou com Serra.

Quando são analisadas as regiões do país, a única variação relevante foi a oscilação para baixo do tucano no Sudeste: de 43% para 40% -dentro da margem de erro. Dilma está na frente com 44%.

O Datafolha perguntou aos eleitores quais atributos são considerados relevantes na hora de escolher o candidato. Houve poucas variações em relação a levantamentos anteriores.

Uma nova pergunta foi sobre “ter um passado político conhecido”. Para 70%, esse é uma atributo “muito importante”. Outros 28% consideraram “pouco importante” ou “nada importante”.

Sobre “nunca ter se envolvido em casos de corrupção”, 87% responderam que essa é uma condição “muito importante” para postulantes à Presidência. Há três anos, em 2007, o percentual foi 91%.

Fonte: Último Segundo / Vox Populi e Folha de São PauloPesquisas Vox Populi e Datafolha divulgadas segunda-feira e ontem, respectivamente, mostram que, na reta final, Dilma ganhou mais votos evangélicos do que Serra.

Pesquisa Vox Populi/iG publicada nesta segunda-feira mostra que, a menos de uma semana das eleições, a candidata do PT ao Palácio do Planalto, Dilma Rousseff, passou para a dianteira sobre o tucano José Serra na corrida presidencial entre os evangélicos.

Num momento em que temas religiosos ganharam destaques na campanha, a pesquisa desta semana aponta que Dilma venceria o rival Serra, entre eleitores católicos (51% a 39%), católicos não praticantes (53% a 35%) e evangélicos (44% a 41%)..

Virada de Dilma
Na semana passada, a mesma pesquisa Vox Populi mostrava que José Serra tinha 44% dos votos entre os entrevistados que se declararam evangélicos e Dilma tinha 42%

Depois da luta pelos voto dos evangélicos, inclusive se comprometendo em não apoiar temas polêmicos como aborto e casamento homossexual, a candidata Dilma Rousseff conseguiu superar o candidato José Serra.

A candidata do PT tinha 42% contra 44% do tucano. Agora, na pesquisa do dia 25 de outubro, Dilma tem 44% e Serra 41%, uma virada que demonstra que todo o esforço para conseguir o voto dos evangélicos valeu a pena na reta final da campanha.

Entre os católicos praticantes Dilma tinha, na pesquisa da semana passada, 54% contra 37% do tucano, e agora tem 51% contra 39%, mostrando uma queda de Dilma e crescimento de Serra, mas insuficientes para tirar a liderança de Dilma entre os católicos praticantes.

No segmento dos católicos não praticantes a petista conseguiu na semana passada, 55% contra 37% de Serra e agora tem 53% e Serra 35%. Queda dos dois candidatos, entre os católicos não praticantes, mas Dilma continua na liderança, também neste seguimento.

Entre os eleitores que não têm religião, a vantagem da petista é de 46% a 38%. Na pesquisa anterior Dilma também vencia por 49% a 36%.

Datafolha

A pesquisa Datafolha divulgada ontem, também mostra que a petista cresce entre evangélicos.

Entre os eleitores evangélicos pentecostais (18% do total do país), Serra liderava com folga no início do mês. Tinha 49% contra 40% de Dilma. Essa foi a época em que o noticiário estava dominado pelo debate sobre temas religiosos e liberalização da lei do aborto.

Depois de quase um mês, Serra acumulou uma perda de seis pontos entre os pentecostais, numa queda lenta e gradual. Na semana passada, estava com 44% e no Datafolha de ontem pontuou 43%.

Dilma começou o mês com 40% e agora tem 42% no segmento pentecostal. Do ponto de vista estatístico, empatou com Serra.

Quando são analisadas as regiões do país, a única variação relevante foi a oscilação para baixo do tucano no Sudeste: de 43% para 40% -dentro da margem de erro. Dilma está na frente com 44%.

O Datafolha perguntou aos eleitores quais atributos são considerados relevantes na hora de escolher o candidato. Houve poucas variações em relação a levantamentos anteriores.

Uma nova pergunta foi sobre “ter um passado político conhecido”. Para 70%, esse é uma atributo “muito im
portante”. Outros 28% consideraram “pouco importante” ou “nada importante”.

Sobre “nunca ter se envolvido em casos de corrupção”, 87% responderam que essa é uma condição “muito importante” para postulantes à Presidência. Há três anos, em 2007, o percentual foi 91%.

Fonte: Último Segundo / Vox Populi e Folha de São PauloVisite: Amigo De Cristo, Noticias Gospel, Videos Gospel, Musica Gospel

Deixe uma resposta