Pastor fracassa ao tentar lançar TV em 150 países

0

No começo de abril, o pastor Silas Malafaia, então ligado à Assembleia de Deus, lançou em parceria com outro pastor norte-americano, Mike Murdock, um plano para arrecadar R$ 1 bilhão. O dinheiro seria empregado em evangelização em todo o mundo e manutenção de programas de TV em pelo menos 140 países. Malafaia batizou o plano de “Clube de 1 milhão de Almas”. Cada fiel que aceitasse colaborar teria de doar R$ 1 mil.

Por causa do plano, o pastor recebeu severas críticas de setores não só da Assembleia de Deus, mas também de outras linhas evangélicas. Por causa das críticas, o pastor teria se afastado da AB.
Quatro meses depois de lançado o plano, ele resulta em fracasso numérico e financeiro. Até esta terça-feira, 3 de agosto, nem mesmo 5.000 pessoas aderiram ao programa, embora o pastor esteja fazendo propaganda ostensiva em horários que adquire na TV e no rádio.
Se prosseguir na atual toada, o pastor levará 330 anos para completar o milhão de almas. O acordo que ele disse ter fechado para exibir programas em outros países seria válido apenas para este ano.

O “sócio” de Malafaia na empreitada, Murdock, é pregador conhecido como ferrenho defensor da teologia da prosperidade –aquela que, grosso modo, prega que o fiel cristão pode obter ganhos financeiros e materiais única e exclusivamente através de sua fé, e que essa fé deve ser demonstrada com uma espécie de generosidade para com a igreja com que ele, fiel, frequenta.
Ao doar parte do que tem, o fiel teria uma contrapartida divina garantida, já que “Deus é fiel” (em seu acordo com os humanos).
É o mesmo discurso da Igreja Universal e da Renascer em Cristo, que lançam constantemente “desafios” para seus fiéis, que, quase sempre, resultam na doação de dinheiro para esta ou aquela “causa” da igreja. A IURD, no momento atual, está pedindo e recebendo doações para construir uma réplica do templo de Salomão; a Renascer, para reconstruir sua sede.
Fonte: Uol

1 COMENTÁRIO

  1. O que vemos hoje, é sem duvida uma involução dos principios basicos da fé (na pratica dentro de algumas igreja), as ofertas no Nt eram recolhidas para manter obras apostólicas como as viagens de Paulo e tambem para ajudar irmãos mais pobres(e sinceros), hoje o objetivo se tornou manter programas de tv, radio, compra de helicopteros, templos de luxo, etc, e dizem que o fazem para difundir o evangelho, mas o que vejo e auto-promoção dos ´´comunicadores´´ e de sua ´´empresas´´.

  2. O que vemos hoje, é sem duvida uma involução dos principios basicos da fé (na pratica dentro de algumas igreja), as ofertas no Nt eram recolhidas para manter obras apostólicas como as viagens de Paulo e tambem para ajudar irmãos mais pobres(e sinceros), hoje o objetivo se tornou manter programas de tv, radio, compra de helicopteros, templos de luxo, etc, e dizem que o fazem para difundir o evangelho, mas o que vejo e auto-promoção dos ´´comunicadores´´ e de sua ´´empresas´´.

Deixe uma resposta