Jimmy Carter ajuda na libertação de cristão

0

Jimmy Carter ajuda na libertação de cristão norte-americano detido na Coréia do Norte

O ex-Presidente Jimmy Carter ajudou a libertar o Cristão norte-americano que foi detido pelos últimos sete meses.

Os dois estão programados para voltar à Boston, Massachusetts, sexta-feira à tarde.

De acordo com The Carter Center, foi concedido a Aijalon Mahli Gomes anistia pelo líder da Coréia do Norte Kim Jong-II, depois de ter sido sentenciado por 8 anos de trabalho pesado por entrar de maneira ilegal no país.

A família de Gomes expressou alívio.

“Eles realmente estão emocionados e gratos ao Presidente Carter,” disse Thaleia Schlesinger, porta-voz da família, ao The Boston Globe.

O Departamento de Estado, o qual falhou anteriormente, neste mês, para libertar Gomes, também deu boas vindas às notícias da libertação.

“Nós apreciamos o esforço humanitário do ex-Presidente Carter e damos boas vindas à decisão da Coréia do Norte de conceder ao Sr. Gomes anistia especial e permitir que ele retornasse aos Estados Unidos,” disse o porta-voz do departamento, Philip J. Crowley na quinta-feira.

Carter chegou em Pyongyang, a capital da Coréia do Norte, na quarta-feira, com a delegação do The Carter Center. A viagem foi uma missão humanitária e privada da The Carter Center – que está empenhada em fazer avançar os direitos humanos e aliviar o sofrimento humano desnecessário – exclusivamente para o propósito de trazer Gomes para casa. Carter viajou à convite da Coréia do Norte. “O governo norte-americano não pretendeu ou não preparou a viagem,” disse Crowley.

“Com base em nossa avaliação de que a saúde do Sr. Gomes estava em sério risco se não recebesse cuidados imediatos nos Estados Unidos, o governo dos EUA concordou com a decisão do ex-Presidente Carter em aceitar a proposta da Coréia do Norte,” disse Crowley.

Durante a visita, Carter teve uma “discussão de coração aberto” com o ministro das Relações Exteriores e vice-ministro das Relações Exteriores para assuntos dos Estados Unidos sobre as relações Coréia do Norte-EUA, de acordo com a Agência Central de Notícias da Coréia. Eles também discutiram a retomada de seis conversações partidárias, a desnuclearização da Península da Coréia e outros assuntos de interesse mútuo.

Gomes foi descrito como um Cristão devoto. Ele foi para a Coréia do Sul para ensinar Inglês em uma escola de ensino primário em uma cidade próximo à fronteira com a Coréia do Norte. O jovem de 31 anos participou de manifestações em Seoul em janeiro, pedindo pela libertação de Robert Park, um norte-americano que cruzou a Coréia do Norte desde a China e foi liberto mais tarde. Gomes foi para a prisão duas semanas depois e condenado por entrar ilegalmente na Coréia do Norte e “atos hostís” contra o país. Suas motivações para entrar no país comunista não são claras.

No ano passado, o ex-Presidente dos EUA, Bill Clinton, voou para Pyongyang para libertar dois jornalistas norte-americanos, Euna Lee e Laura Ling, da Current TV, que foram condenados à prisão depois de terem entrado ilegalmente na Coréia do Norte.

Fonte: The Christian Post

Deixe uma resposta