Bispo toma conta de Hollywood com novo filme

0

Bispo T.D. Jakes está tentando mudar a “Máquina Hollywoodiana” – que às vezes tem sido considerada como a “ferramenta do diabo” pelos cristãos.

Seu objetivo é transformar Hollywood em uma plataforma que potencialmente alcançará com mensagens evangélicas milhões de pessoas que não frequentam a Igreja.

A companhia de filmes do Jakes, Jakes Enterprises está concluindo as gravações do filme “Pulando a Vassoura (Jumping the Broom )” essa semana em Manhattan, um filme sobre fé e família que mostra os desentendimentos entre duas famílias de origens diferentes durante um casamento de fim de semana.

“Nós não nos falamos por um bom tempo,” afirmou o pastor bem-conhecido da mega Igreja sobre a relação entre Hollywood e Cristãos. Ele pretende ampliar as linhas de comunicação entre os dois com o lançamento de seu filme direcionado às famílias de todos os tipos.

Pastor de uma Igreja de mais de 30,000 membros, a qual é chamada de A Casa de Potter, Jakes contou ao Cristian Post que ele foi atraído à esse filme no momento em que viu o roteiro e percebeu que ele transmitia uma mensagem de unir pessoas de origens diferentes. A história sobre um marido e uma mulher das famílias fictícias Taylor e Watson que possuem origens socio-econômicas divergentes é também um passo – de acordo com o Bispo – para fazer com que Cristãos se aproximem mais de Hollywood. é a chance para os Cristãos transmitirem sua mensagem através do “megafone” de Hollywood.

“Há milhões de pessoas que vão ao teatro que nunca iriam à Igreja, e temos uma oportunidade para derrubar as barreiras e remodelar como somos vistos no mainstream,” disse Jakes. “Podemos entrar lá e levar a nossa mensagem.”

Jakes pretende enviar uma mensagem através do filme, mas sem faltar uma boa diversão e gargalhadas do público.

“é engraçado, e não têm tanta seriedade,” disse Jakes sobre o filme.

O filme inclui a atriz Angela Basset (conhecida por sua nomeação no Oscar pelo seu papel de Tina Turner e nomeação no Emmy por ter interpretado Rosa Parks) junto de Loretta Devine, Mike Epps, Paula Patton, Romeo Miller e Bispo Jakes como o próprio, responsáveis por mostrar humoristicamente desafios espirituais e culturais. A abstinência, maternidade, família, e as relações culturais e espirituais são tratadas com comédia invés de uma moral chata. A intenção do filme é de primeiro divertir e não pregar para o público como os outros filmes cristãos costumam fazer, disse Jakes.

“Acho que vou ficar com meu emprego de pastor mesmo,” comentou o Pastor de Dallas.

O que realmente importa é que os filmes de Hollywood que tratam de valores cristãos e familiares devem colaborar com o crescimento do relacionamento do Cristianismo com Hollywood, assim fazendo com que mais pessoas vejam um filme que é divertido, disse ele.

Como um pastor de uma mega Igreja, no entanto, Jakes está procurando por aquele “lugar chave” aonde ele possa achar harmonia entre a definição de entretenimento Hollywoodiano – aonde frequentemente sangue, cenas de mortes e sexo tomam conta das morais – e de valores familiares e cristãos.

“Estamos tentando encontrar o equilíbrio. Eu percebo que pessoas, geralmente, evitam filmes que são evidentemente medicinais. Eles querem realmente ser entretidos, por isso estamos tentando encontrar o lugar chave entre entretenimento, humor e mensagem.”

A partir do ponto de vista de um pastor, ele espera que o filme, o qual será lançado no Dia das Mães em 2011, criará conversas mais profundas.

“Eu fiquei muito interessado quando o noivo chegou àquele ponto no qual ele foi condenado, se converteu e teve uma experiência de fé,” comentou ele através de sua perspectiva única como um pastor envolvido na produção do filme. “Estava muito interessado e a fim de fazer com que mostrássemos as complexidades da abstinência e namoro adulto e o que a levou [a noiva do filme] à abstinência.”

“Estamos tentando fazer com que a máquina de Hollywood fale coisas que ela normalmente não diria. Eu nunca vi um filme Hollywoodiano que tratasse de abstinência, o qual já é algo chocante pra eles.”

No filme, o casal tenta manter sua promessa de abstinência, o que dá lugar ao Jakes, que interpreta um pastor que persuade o casal a mantém suas normas morais.

Embora Jakes alegou brincando que seu envolvimento no filme como ator foi puramente uma solução de última hora para encontrar “trabalho barato,” ele depois mencionou que atuar é “bastante divertido.” Ele entrou, originalmente, na indústria dos filmes depois de produzir e atuar em peças gospeis e por ter ganho um festival de filmes prominentes com sua primeira tentativa filmográfica.

Jakes também acredita que o filme ajudará a trazer melhor entendimento entre pessoas de grupos raciais diferentes.

“Isto é algo menosprezado na mídia, o fato que os afro-americanos não são monolíticos. Somos muito diversificados em nossa comunidade,” observou ele.

O título, “Pulando a Vassoura,” é um termo que originou-se da escravidão na América, na qual era ilegal que escravos se casassem. Escravos que faziam votos de se casarem, literalmente pulavam sobre um cabo de vassoura para simbolizar seu compromisso de um ao outro – o que nos lembra à troca de alianças. No filme, “pulando a vassoura” simboliza as famílias, uma pessoa de classe baixa e outra de classe alta, juntando-se, mas também pode referir-se a compromissos culturais e espirituais de uma família.

O filme também dirige-se à maridos, esposas, e famílias sobre expectativas e as realidades do casamento. Jakes, entretanto, estava ocupado se preparando para sua própria realidade – o aniversário de sua esposa era no dia seguinte.

Jakes, que se encontrou com O Christian Post numa lanchonete em Columbus Circle, ansiosamente nos contou sobre sua experiência como um Cristão que se envolveu com Hollywood.

“Você(s) ficariam chocados com quantos Cristãos há em Hollywood,” comentou ele.

No entanto, nem todos são visíveis, porque eles são seres humanos tentando “equilibrar suas carreiras e suas convicções.” Mas Jakes disse que existem Cristãos em Hollywood “famintos por material Cristão.” Então Jakes planeja uma estratégia passo-a-passo de conseguir apoio de Hollywood para filmes com temas cristãos.

“Nós somos pessoas de fé, mas ainda somos pessoas normais. Temos problemas como qualquer outra pessoa,” disse ele na justificativa de sua abordagem. “Sorrimos, rimos, choramos e tentamos irritar outros. Não somos esquisitos, seres alienígenas.”

“’A Paixão de Cristo’ mandou ondas de choque por Hollywood. Agora eles estão procurando por filmes com valores cristãos,” continuou ele. O líder judeu da Sony Pictures, Michael Lynton, não se opõe em ver a aparição de “Jesus” ou “Deus” num filme, diz Jakes depois de ter se juntando à Sony no filme.

“O que eles opõem, no entetanto, é fazer um filme que não vende”, disse Jakes. “O mundo secular é somente movido pela bilheteria.”

A chave é para Cristãos apoiarem os filmes direcionados à famílias quando chegarem aos cinemas.

“O tempo mais importante para os Cristãos irem à bilheteria é no primeiro fim de semana.” é assim que os produtores medem o quão forte eles empurrarão o filme.”

“Pulando a Vassoura” foi produzido com um orçamento de aproximadamente 10 milhões de dólares, o qual é muito mais alto do que filmes com temas cristãos costumam ter. A maior parte da filmagem foi feita na Nova Escócia, Canadá, e em Martha’s Vineyard a qual também retrata o local onde se passa a história.

“O filme será um aperitivo de material visual deslumbrante,” observou Jakes.

Para Jakes, o filme é outro passo a mais conforme ele coloca seu pé na porta como um produtor cristão em Hollywood. Ele espera que no decorrer das coisas, a companhia de filmagem possa decolar algum dia, possivelmente tendo um de seus filhos no manche.

Enquanto isso, Jakes também está tentando pôr um seriado de comédia nos canais de televisão – outra maneira de fundir discussões sobre fé em milhares de lares norte-americanos.

Têm aparecido desafios – alguns vindo de companheiros cristãos – por Jake ter entrado na indústria de filmes. Juntar credibilidade e unidade pelos cristãos foi um deles, junto com a tentativa de alcançar e continuar aquela discussão da mensagem do filme com o público secular.

Ele pode ser facilmente mal-entendido como um pastor cuja Igreja está entrando em filme, mas Jakes enfatizou que sua companhia de filmagem é separada do seu papel na Igreja. No cenário mais amplo, no entanto, Jakes alinha seu papel com vários campos diversos, tais como Igreja, filme, e música, através de “um fio comum” – sua ênfase na “comunicação.”

Parte da comunicação inclui sair da zona de conforto dele para alcançar mais pessoas através do filme.
“Nós [Cristãos] somos o sal da terra. Temos que sair, sair de nossa zona de conforto. Em vez de gritar para a escuridão, Eu quero acender uma vela,” concluiu Jakes.

“Estamos tentando … fazer uma grande diferença em Hollywood.”

Fonte: Christian Post
veja também:

Mais de 50 pessoas se convertem em exibição de filme cristão

A primeira exibição do filme “Para Salvar uma Vida” aconteceu no último dia 21/08 na Igreja Nova Vida de Alcântara, São Gonçalo – Rio de Janeiro, para um…

Deixe uma resposta