Pastor é preso acusado de engravidar duas adolescentes

0

O pastor José Pedro Campos Coelho foi preso nessa terça-feira, na cidade de Pinheiro (MA), acusado de abusar de duas adolescentes, de 15 e 16 anos, filhas de frequentadores da igreja. Ele mantinha uma conversa ludibriosa, e disse que manteve relação sexual com as menores em nome do Espírito Santo, que as crianças seriam enviadas de Deus

Pastor é preso acusado de engravidar duas adolescentes
Pastor é preso acusado de engravidar duas adolescentes

As meninas, grávidas de quatro e oito meses, viviam no templo, em um local chamado de Casa das Mulheres Bem Aventuradas, onde, de acordo com o acusado, moravam as escolhidas por ele para gerarem cinco filhos do Espírito Santo, afirmou a delegada regional Laura Barbosa.

A cidade é a mesma onde ocorreram outros três casos de abusos contra menores cometidos pelos próprios pais. No dia 8 de junho, o lavrador José Agostinho Bispo Pereira foi preso e indiciado pela polícia, acusado de estuprar as duas filhas, com quem teve oito filhos-netos, além de ter abusado de duas dessas crianças. Ele chegou a ser chamado de Fritzl do Maranhão (em referência ao caso do austríaco que manteve a filha trancada em um porão por mais de 20 anos). Outros dois casos semelhantes também foram apurados pela polícia no mês de junho.

De acordo com a delegada, o caso do pastor foi denunciado pelo pai de uma das adolescentes, que pediu que a filha fosse recuperada da igreja onde estava vivendo. No entanto, todos os pais e os frequentadores acreditavam na história do pastor. “Ele disse que agia em nome de Deus e que recebeu a mensagem de um anjo, que lhe mostrou o rosto de cinco crianças que deveriam nascer”, disse a delegada.

Segundo Laura, as meninas confirmaram que tinham relações sexuais com o pastor. – Ele mantinha uma conversa ludibriosa, e disse que manteve relação sexual com as menores em nome do Espírito Santo, que as crianças seriam enviadas de Deus. As vítimas são muito humildes, moradoras de um povoado aqui da região – diz a delegada. Os pais, apesar de terem denunciado, acreditavam que as meninas eram virgens, mesmo estando grávidas”, afirmou.

“Outras duas meninas tinham sido escolhidas para gerar as outras crianças, mas ele não levou a ideia adiante, porque os pais teriam ficado calados, e por isso ele achou que eles não tivessem concordado”, disse Laura. O pastor era responsável por duas igrejas evangélicas, uma em Pinheiro, e outra no povoado de Serraria.

José Pedro Campos Coelho, ainda de acordo com a delegada, teria ainda escolhido – usando o nome do Espírito Santo – outras três adolescentes frequentadoras da igreja para ter relação sexual. Os pais das menores, nesse caso, teriam desaprovado. A polícia agora investiga se houve ou não relação sexual entre o acusado e as três outras adolescentes.
– Esse pastor, durante o depoimento, fez uma série de intimidações, dizendo que as pessoas que atravessam o caminho dele ficam com distúrbios mentais e coisas do tipo. A mesma conversa que ele deve usar para intimidar os fiéis – salienta a delegada.

O pastor será indiciado com base no artigo 215 do Código Penal, que prevê pena de reclusão de 2 a 6 anos para quem teve ‘conjunção carnal com alguém, mediante fraude’.

Deixe uma resposta