Batalha Espiritual – A Grande Guerra

0

Batalha Espiritual – A Grande Guerra

Batalha Espiritual - A Grande Guerra
Batalha Espiritual – A Grande Guerra

Desde o episódio da queda, o povo de Deus encontra-se numa batalha acirrada, em uma grande “Guerra” contra as forças do mal uma batalha “Espiritual“. Uma luta que não assistimos a olho nu, mas que nos torna influenciados por ela. A Palavra de Deus nos diz que “Ele nos tirou do império das trevas e nos transportou para o Reino do Filho do Seu amor. Fomos arrancados das trevas para a Sua maravilhosa luz” (Col. 1; II Pedro 2). Mas isso não quer dizer que estamos livres dos ataques do Diabo. Ele não sossegará enquanto não destruir o povo de Deus: essa é a batalha espiritual. A guerra entre a Igreja de Cristo e o inferno foi declarada em Gênesis 2:15, quando Deus disse: “Porei inimizade entre ti (serpente) e a mulher (Igreja)”.

Nos Evangelhos vemos as constantes oposições entre Jesus e os demônios. O tema ocupou um terço de Seu ministério na Terra. Diante disso, convém questionar: será que temos dado devida importância ao tema?

De acordo com o pastor Alcione Emerich, do Serviço Cristão de Aconselhamento Integral (Secrai), estamos constantemente em guerra espiritual. Isto está declarado por Paulo em Efésios 6:12: “Porque nossa luta não é contra o sangue e a carne, e, sim contra os principados e potestades”.

“O apóstolo nos alertou: ‘não deis lugar ao diabo’ (Ef. 4:27). O pecado é a única coisa neste mundo que pode destruir um cristão e uma igreja”, disse Emerich.

A humanidade permitiu a iniqüidade no seu coração (Ez 28). Esse é um dos fatores que explicam por que o homem está precisando urgentemente de ajuda. Atualmente a sociedade tem absorvido conceitos profanos e heranças malignas por intermédio de várias frentes – como os meios de comunicação mais diversos – e, com isso, aliou-se ao império de trevas.

O que nós podemos fazer? Desatar as vidas que estão amarradas e perderam a mobilidade. O que notamos é que a Bíblia declara que essa geração seria cheia de conflitos e argumentos espirituais e que só seria conquistada por orações e jejuns. Até que o Messias Jesus volte, devemos nos empenhar nisso (Mt 9:15).

  • Armas para a guerra

Para vencer os constantes ataques do inimigo invisível, é preciso preparo e entendimento sobre do reino das trevas. A batalha espiritual para conquistar e consolidar vidas está diante de cada um de nós, tanto daqueles que são mais experientes quanto dos recém-chegados.

“Nossa maior arma contra o mal é o nome de Jesus (Mc 16:16-18; Fl 2:9-11)”, diz o pastor Alcione Emerich. “Mas temos percebido que em algumas situações, Deus nos orientará a utilizarmos uma estratégia específica. A guerra espiritual pode ser vencida com atitudes como perdão, amor e uma vida de oração”.

A santidade é outra grande arma. Quando estamos conectados com Deus, esse elo é uma ameaça suficiente para que o inimigo não permaneça diante de nós e bata em retirada.

O caminho da santidade é longo. Para mantê-la temos que gastar tempo, aprender a ser discípulo e enfrentar uma constante guerra com o inimigo, que tenta de todas as maneiras nos atingir, seja no trabalho, em casa, na convivência social ou emocional.

“Como filhos de Deus não podemos deixar de lado o que o Senhor tem nos entregado: a unção para vencermos demônios, principados, potestades e soltarmos as vidas que estão ainda nas mãos do inimigo (Mt 18:15-18)”, acrescenta.

Max Anders, em seu livro “Guerra Espiritual em 12 Lições”, editora Vida, diz que “precisamos entender que o mundo espiritual é tão ou quase mais real para nós que o mundo físico”.

Conforme Emerich, além de ter uma vida reta diante do Senhor, precisamos aprender uns com os outros, estudar e reconhecer as estratégias do inimigo.

Temos visto cristãos fanáticos pelo mundo espiritual. Enxergam o diabo em tudo, tornaram-se obcecados. O inimigo também pode utilizar essas estratégias: ou ele tenta fazer com que você não o enxergue em lugar algum, ou tentará fazer com que o veja em todas as partes.

“Nessa guerra, precisamos nos orientar com o nosso general, Cristo. É preciso ter cuidado com os extremos. Os líderes têm um papel importante a desempenhar na orientação de suas ovelhas. Já nos advertiu o grande teólogo inglês Matim Loyd Jones: ‘o diabo é o pai dos extremos'”, completa Emerich.

Uma excelente e poderosa arma contra o mal está ao seu alcance: o conhecimento (Palavra), a fé, o amor (vindo de Deus por Seus filhos) e o Espírito Santo (dons). Todos nós temos o poder para vencer essa guerra a partir da base do trono de Deus: a justiça e a verdade (Sl 89:14).

  • Uma difícil batalha

A arma do diabo é o engano – II Co 11:14
O diabo é pai da mentira – Jo 8:44
O diabo ilude – Gn 3:4,5
O diabo é denominado o “sedutor das nações” – Ap 19:20; 20:8
A verdade de Deus liberta – Jo 8:32
O povo precisa de entendimento para vencer a batalha – Is 5:13

  • Como entender a atuação do diabo na vida humana


– Reconhecer que essa geração jaz no maligno (I Jo. 5:19). A geração sem Deus está debaixo de um controle espiritual maligno e devemos vencer o principado que atua em cada vida.

– Reconhecer que essa geração é perversa (At. 2:40). O termo no original dá idéia de imoralidade e perversão, a manipulação e a desordem, a mistura do sagrado com o profano. São cadeias espirituais que precisam ser quebradas.

– Reconhecer que a geração perdeu o entendimento (II Co. 4:4). O entendimento fala de visão. O inimigo cegou o entendimento para não resplandecer a luz do evangelho de Cristo. Ou seja, a manifestação da unção do Cristo é suficiente para que o nosso entendimento se abra e a cegueira se vá. Pessoas cultas, de nível intelectual elevado, estão plenamente amarradas nas questões espirituais. Isso prova que a libertação espiritual independe do nível intelectual (I Tim. 4:7 e Gál. 5:19-21).

– Reconhecer que a geração é dominada pelo diabo. Para arrancar uma vida desse império de trevas, vamos precisar de um preparo sobrenatural, pois o inimigo não vai soltar as vidas facilmente. Então, esse tempo é de grande luta espiritual, pois se não estivermos preparados para essa batalha não vamos obter sucesso.

Fonte: Livro “Guerra Espiritual em 12 Lições”, Max Anders.
* Leia mais sobre o assunto“Guerra Espiritual em 12 Lições”
Max Anders
Editora Vida
* Aprenda sobre batalha espiritual Serviço Cristão de Aconselhamento Integral (Secrai)
Telefones: (27) 3328-7152 e 3074-2878
Site: www.secrai.com.br

1 COMENTÁRIO

  1. O estudo da Palavra de Deus não é mais prioridade na maioria das igrejas!

    Poucos pregam sobre o pecado e suas conseqüências, sobre a necessária separação do crente à maioria dos comportamentos da sociedade atual.

    Nas reuniões de oração a freqüência é de meia dúzia de pessoas enquanto que os shows de música lotam.

    quanto jejum?

    Nesse quadro de fraqueza espiritual a Apostasia se espalha como fogo (estranho) em lavoura seca!

Deixe uma resposta